Quem é José Rômulo de Magalhães Filho

Por Eliabe Gouveia de Deus*

 

Conheço o autor desde o ano de 1988 em Recife. Então eu era estudante do Seminário Presbiteriano do Norte e ele pastoreava a comunidade Presbiteriana no bairro de Passarinho. Desde então nossa amizade estava marcada pela cumplicidade, recheada de intenso carinho e um respeito indelével à uma figura humana extraordinária.  Nossos caminhos foram marcados para se cruzarem e depois de vários anos separados, sem notícia alguma, reencontramo-nos e 1993 quando foi recebido no Presbitério Bahia-Sergipe da IPI do Brasil.

Definir José Rômulo de Magalhães Filho carrega toda a responsabilidade de não desrespeitar sua alma carregada de complexidade numa natureza no mínimo dialética. Dono de uma perspicácia invejável, uma mente clara e bem articulada, capaz de achar soluções rápidas que, as quais nem sempre são consensuais, ele é explosivo e passional. Tudo isso ancorado em uma natureza dócil e uma sensibilidade matriarcal, o faz ser uma autoridade e afetividade.


Não somos amigos simplesmente, somos parceiro de vida, mais que irmãos e foi assim que enfrentamos juntos prazeres e vicissitudes.


Creio que o leitor desse texto vai viajar e se emocionar, considerando que o autor descarrega nele toda pluralidade de uma natureza exótica, abstrusa e ao mesmo tempo afável. Ninguém melhor do que ele para elaborar um diagnóstico sobre a família que carregue a visão crítica dos cientistas ao tempo que possa transmitir a sensibilidade romântica dos amantes.

 

* Secretario Municipal de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Vitória da Conquista – Bahia - Brasil

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

This Web Page Created with PageBreeze Free HTML Editor